Alternativa 104

Candiba Bahia
0:14
  • cover
    Alternativa 104

Dez anos de Pimp My Carroça

 Dez anos de Pimp My Carroça


Fundado em 2012 pelo ativista Mundano, o Pimp My Carroça atua em prol de melhores condições de trabalho, reconhecimento e remuneração justa dos catadores e catadoras de material reciclável no país

Com atuação estratégica junto aos setores público, privado e, principalmente, da sociedade civil nacional e internacional, a ONG Pimp My Carroça, que promove o reconhecimento nacional dos catadores de recicláveis, celebra dez anos de trabalho em 2022




Foto: Climatempo

Pimpex do Willen, Rio de Janeiro/2016 – (Foto: Parede Viva)

O Pimp é um agente de redução do impacto socioambiental e climático no Brasil e no mundo e faz isso por meio de propor iniciativas que melhorarem suas condições de renda e trabalho, e que abram caminhos para um futuro sustentável.

O Pimp My Carroça coloca o foco nas pessoas que estão carregando, literalmente, nossos resíduos recicláveis pelas cidades e são a ponte para a construção de um mundo mais sustentável social, econômica e ambientalmente falando. São pessoas que executam um trabalho brutal para o corpo, sem receber nenhum apoio”, conta Letícia Tavares, diretora executiva da ONG.

“Estima-se que o desperdício e a produção desenfreada de produtos equivalem a R$ 14 bilhões gerados pela reciclagem, que poderiam ser direcionados para a renda de mais de  um milhão de pessoas no Brasil”, completa. 

Através de ações diretas colaborativas alinhadas aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU, inovações tecnológicas de cunho social e intervenções artísticas, a ONG realizou, nos últimos 10 anos, cerca de dez mil atendimentos a catadores e catadoras, com envolvimento direto de mais de 20 mil pessoas em 60 cidades e 20 países, entre eles Argentina, Chile, Colômbia, Estados Unidos e Hong Kong.

A ONG realiza encontros e atividades para reforma e pinturas artísticas nas carroças; tem projetos de construção de carroças elétricas; fomenta a autoestima dos trabalhadores por meio de atividades de formação e cultura, além de proporcionar atendimento em saúde, bem-estar e segurança.

Dentre as iniciativas do Pimp My Carroça, estão programas que impactam diretamente na rotina dos catadores. Um dos exemplos é o aplicativo gratuito Cataki, que conecta os produtores de resíduos aos coletores de material reciclável, presente em mais de 1.600 municípios brasileiros e com mais de quatro mil usuários cadastrados atualmente.

Outra iniciativa é o Carroças do Futuro que consiste na aplicação de protótipos de carroças motorizadas baseadas no uso de energias renováveis, como alternativa a tração humana e com potencial de escalabilidade, de forma a promover melhorias na qualidade de vida, condições de trabalho e renda dos catadores de materiais recicláveis, além de favorecer o aumento da reciclagem nos territórios.

O Pimp My Carroça vem aplicando projetos pilotos em 4 territórios do Município de São Paulo junto aos catadores e, com apoio do Instituto Clima e Sociedade (iCS), está em busca de parceiros para a expansão e escalabilidade do projeto.

Justiça climática

No que se refere à justiça climática e racismo ambiental, o projeto considera que catadores e catadoras são, entre os trabalhadores, uma das categorias mais afetadas, tanto pela ausência de direitos básicos quanto pela desigualdade social. Um dos objetivos do Pimp My Carroça é reparar historicamente essas pessoas, que, desenvolvendo conhecimentos e ações na gestão de resíduos recicláveis, tiveram importância fundamental  na modificação da cultura do consumo.

O Brasil precisa dos catadores para conseguir reduzir CO² do meio ambiente”, destaca Mundano, fundador do movimento. “É preciso atitudes do tamanho do desafio, e é urgente investirmos em soluções efetivas e inclusivas em todo território nacional se quiserem fazer sustentabilidade na prática, cumprir metas ESG e acordos ambientais globais. A gente acredita que todos nós somos parte do problema e da solução”, complementa Mundano.

Dados coletados pelo aplicativo Cataki apontam que um quilo de latas recolhidas pode economizar cerca de 19 litros de água e evitar a emissão de 4,6 quilos de CO², o equivalente ao quanto um carro emite em uma hora com o motor ligado.

De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) feita em 2018, estima-se que, atualmente, haja mais de um milhão de catadores em atividade no Brasil, responsáveis por 90% da coleta de resíduos recicláveis do país,  com uma renda média mensal de R$ 690,00. Suas carroças carregam até 600 quilos de material. Dados obtidos em 2019 pelo Cataki apontam um crescimento de 60% na renda dos catadores impactados pelo projeto. 

Para conhecer mais sobre o Pimp My Carroça e sua causa, acesse o site.



Fonte: Terra

AllEscortAllEscort