Alternativa 104

Candiba Bahia
0:14
  • cover
    Alternativa 104

Como será o frio do inverno de 2022

 Como será o frio do inverno de 2022


 

O inverno de 2022 começa astronomicamente às 6h14 do dia 21 de junho, quando ocorre o solstício de inverno, e se estende até às 22h04 do dia 22 de setembro, data do equinócio da primavera.

 

A forte onda de frio do começo da segunda quinzena de maio de 2022 foi sentida em todas as Regiões do país. A temperatura baixou para quase 5°C negativos no Sul do Brasil. Estados da Região Norte, como Rondônia e Tocantins, registraram temperaturas em torno de 11°C. Na Região Sudeste, geou em áreas do estado de São Paulo, no Sul de Minas e também do Triângulo Mineiro. A cidade de São Paulo registrou 6,6°C, que foi a temperatura mais baixa para um dia de maio desde 1990.

 

Mas o que mais impressionou foi o efeito desta massa polar na Região Centro-Oeste. O frio intenso causou geada no Distrito Federal, o que é raro. Brasília registrou apenas 4,9°C, a segunda menor temperatura para um dia de maio desde 1960, segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia.

 

Durante essa onda de frio, uma das perguntas mais recorrentes foi se este ano ainda poderíamos ter uma outra onda de frio tão intensa e abrangente como esta observada no começo da segunda quinzena de maio de 2022. Isto é um sinal de que o inverno será rigoroso? Como o fenômeno La Niña vai impactar no inverno? Será que teremos outra (s) ondas de frio tão amplas e fortes como esta de maio?

 

Fazer muito frio, gear e nevar não são fenômenos tão incomuns assim em maio. O fato de ter passado esta onda de frio não significa que teremos um inverno rigoroso. Já tem frio à vista para o começo de junho, mas será frio para gelar Brasília novamente? O frio pode aumentar no inverno?

 

Para responder a essas perguntas consultamos o agrometeorologista Celso Oliveira, da equipe de previsão climática da Climatempo. Confira a entrevista!

 

Como será o frio do inverno de 2022 (Foto: Getty Imagens)

 

 

O frio pode aumentar no inverno?

 

Já tem frio à vista para o começo de junho e que esfria parte do centro-sul do Brasil entre os dias 6 e 7 deste mês. Mas a massa de frio forte que está no radar dos meteorologistas da Climatempo é a chegada ao país na segunda quinzena de junho. Será uma massa de ar frio abrangente para chegar forte a Brasília novamente? 

 

Celso Oliveira já avisa que esta massa de ar frio esperada para a segunda quinzena de junho de 2022 é preocupante. “Embora essa onda de frio cause até uma queda de temperatura no Acre e em Rondônia, na Região Centro-Oeste o efeito desta massa de ar frio deve ser basicamente em Mato Grosso do Sul e nas áreas a oeste e sul de Mato Grosso.

 

O inverno de 2022 será frio?

 

Considerando a intensidade, Celso Oliveira avalia que sim e que passagem das massas de frio será frequente, mas nem todas serão tão abrangentes como a da segunda quinzena de maio. “Na intensidade, acho que sim. Mas não obrigatoriamente vai fazer frio o tempo todo.  O frio poderá ser pior no Sul e partes do Sudeste e Centro-Oeste, especialmente em Mato Grosso do Sul.

 

Mas Celso alerta que, até o fim de julho, é possível que o Brasil experimente novamente uma onda de frio parecida com a que gelou o país no começo da segunda quinzena de maio.

 

La Niña e o frio do inverno de 2022

 

O fenômeno La Niña vem perdendo força, mas a porção central e leste do Pacífico Equatorial segue fria, com temperatura abaixo da média. Como isto influencia o frio do inverno de 2022? O que muda na intensidade e trajetória das próximas massas polares?

 

O meteorologista Celso Oliveira explica que, embora os estudos científicos não sejam conclusivos sobre a ideia de que o La Niña deixe os invernos mais frios, nota-se que a presença do fenômeno aumenta a frequência de massas polares. Mas não é o La Nina que define se essas massas polares terão grande penetração pelo interior do país.

 

O histórico mostra que vários anos frios foram com La Niña. Este ano, o fenômeno já está demonstrando tendência de enfraquecimento, mas vai persistir durante todo o inverno. Isto significa que o Pacifico Equatorial central e leste vai continuar frio, embora mais próximo do sinal de neutralidade do que do La Niña. 

 

Celso Oliveira complementa: “O El Niño é, de fato, um bloqueador de massas frias. Mas se o La Niña não garante a entrada de um maior número de massas frias sobre o Brasil,  a neutralidade deve ser entendida como um facilitador.”

 

Quantas ondas de frio são esperadas para o inverno de 2022

No calendário, o inverno de 2022 começa astronomicamente no dia 21 de junho (solstício de inverno) e se estende até 22 de setembro. Mas as ondas de frio não obedecem necessariamente o período astronômico. 

 

O inverno de 2022 terá frio frequente, mas só 2 ou 3 massas polares vão efetivamente gerar situações de onda de frio no país. A tendência de neutralidade no centro e leste do Pacifico Equatorial, mas com características frias, vai facilitar a passagem de outras massas de ar frio sobre o Brasil ao longo do inverno. 

 

Segundo Celso Oliveira, serão diversas massas de ar frio, mas até agora, somente duas parecem ter potencial para efetivamente espalhar o frio intenso pelo país: uma na segunda quinzena de junho e outra em julho. Outra moderada a forte é esperada para agosto.

 

 

Mais neve no inverno de 2022?

 

O histórico de neve no Brasil, precoces e tardias, mostra que o fenômeno La Niña esteve por trás de quase todos os episódios. Teremos mais neve no inverno de 2022? Qual o mês mais provável para voltar a nevar?

 

A neve é uma combinação especial de fatores. É preciso muito frio e muita umidade. Pelo frio, a segunda quinzena de junho e julho seriam fortes candidatos a terem neve. Mas é sempre bom lembrar que a previsão de neve no Brasil só tem uma acertividade razoável com cerca de sete dias de antecedência.





Fonte: R7

AllEscortAllEscort