Alternativa 104

Candiba Bahia
0:14
  • cover
    Alternativa 104

Parem agora de colher a planta-pênis carnívora de 30 cm do nosso país, ordena governo do Camboja. Entenda!

 Parem agora de colher a planta-pênis carnívora de 30 cm do nosso país, ordena governo do Camboja. Entenda!


Depois que um vídeo de 3 mulheres arrancando várias plantas-pênis — uma planta com formato do órgão genital masculino, carnívora e que pode crescer até 30 cm — viralizou nas redes sociais, o governo do Camboja resolveu exigir respeito.


Jornal Ciência no
seu WhatsApp




Clique aqui (61) 98302-6534
,
mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá
notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

Os vídeos foram gravados arrancando as plantas, atitude que foi considerada desrespeitosa e exagerada; isso porque que a planta-pênis está ameaçada de extinção.

Ela é da espécie Nepenthes holdenii, foi descoberta há pouco anos e sempre causa “espanto”. Os primeiros registros em vídeo e fotos publicados após sua descoberta, viralizaram e foram parar em todos os jornais do mundo.

Os primeiros exemplares foram registrados no oeste do Camboja, nas montanhas Cardamom, e a espécie foi encontrada pela ONG Fauna & Flora International, vivendo a mais de 800 metros de altitude.

Sobrevivem em solo pobre em nutrientes, complementando sua dieta com insetos vivos, usando seu néctar e perfume doce para atrair presas diversas. Por isso, não pode ter seus “jarros” arrancados, porque elas precisam deles para atrair e digerir insetos, que contribuem para sua nutrição.

Sobre o vídeo das garotas que viralizou recentemente, o governo do Camboja exigiu que as pessoas parem de arrancar a planta-pênis, que está virando atração mundial através dos influenciadores digitais.

Em um post no Facebook, o Ministério do Meio Ambiente do Camboja, emitiu ordem dura, mas tentou conscientizar: “O que elas estão fazendo é errado e não façam isso novamente no futuro! Obrigado por amar os recursos naturais, mas não arranquem, ou elas serão arruinadas!”.

As 3 garotas foram até a Montanha Bokor, na província de Kampot, apenas para coletar as plantas-pênis e gravar para divulgar em postagens nas redes sociais.

Nos últimos anos, moradores e turistas estão indo até o Camboja exclusivamente para brincar, arrancar, tirar selfies e fotos dos exemplares mais parecidos possíveis com o pênis humano, buscando maior quantidade de curtidas — isso está destruindo a espécie rara.

Os habitats naturais das plantas carnívoras diminuíram no Camboja devido à expansão agrícola em terras privadas e ao crescimento da indústria do turismo em áreas protegidas, de acordo com a Science Daily, citando um estudo de 2021 publicado na Cambodian Journal of Natural History.

Ambientalistas observaram que, embora a aparência fálica das plantas seja “divertida” e, de fato, nos faz dar boas gargalhadas, arrancá-las pode comprometer sua sobrevivência, sendo isso um ato irresponsável.

Esta não é a primeira vez que o governo do Camboja faz um alerta duro contra danos às plantas fálicas e fotogênicas; altos funcionários do governo já pediram aos turistas que não arrancassem as plantas, em julho de 2021.

“Se as pessoas estiverem interessadas, mesmo de forma engraçada, em posar, em fazer selfies com as plantas, tudo bem. Só não arranque os jarros (a estrutura coletora carnívora com aparência de pênis) porque isso enfraquece a planta; ela precisa desses jarros para se alimentar na sua versão carnívora”, disse François Mey, ilustrador e botânico que descreveu a espécie pela primeira vez.

Fonte(s): New York Post / Live Science Imagens: Reprodução / Redes Sociais





Fonte: R7

AllEscortAllEscort