Alternativa 104

Candiba Bahia
0:14
  • cover
    Alternativa 104

Trabalhadores de petróleo e gás da Noruega ameaçam greve, com risco para parte da produção

 Trabalhadores de petróleo e gás da Noruega ameaçam greve, com risco para parte da produção


Pelo menos 647 trabalhadores noruegueses do setor de petróleo planejam entrar em greve a partir de 12 de junho se a mediação salarial intermediada pelo Estado falhar, disseram sindicatos nesta sexta-feira, colocando parte da produção de petróleo em risco de paralisação, embora o gás possa não ser afetado.

Os trabalhadores estão buscando aumentos salariais acima da inflação e outras mudanças em seus contratos, mas não divulgaram detalhes de suas demandas.

Membros dos sindicatos Industri Energi e Lederne planejam uma greve em 10 instalações offshore permanentes, incluindo as plataformas Njord A, Valhall, Gudrun e várias Oseberg, além de três unidades de serviço móvel, disseram os sindicatos.

Lederne teria inicialmente 74 trabalhadores em greve, provavelmente atingindo a produção de petróleo nas plataformas Gudrun, Oseberg South e Oseberg East, operadas pela Equinor, disse o sindicato.

No entanto, a produção de gás deve permanecer inalterada, disse o chefe da Lederne, Audun Ingvartsen, à Reuters.

“Vamos tentar evitar afetar a produção de gás, pois estamos atentos à situação do fornecimento de gás na Europa”, disse ele.

“Espero que possamos encontrar a melhor solução tanto para a Noruega quanto para as companhias petrolíferas e, ao mesmo tempo, devolver algo aos trabalhadores. Espero que possamos evitar uma greve.”

Lederne está negociando em nome de cerca de 1.300 sindicalistas.

A Equinor não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

Gudrun produziu 45.700 barris de óleo equivalente por dia (boed) em 2021, Oseberg East foi responsável por 5.600 boed e Oseberg South, por 32.000 boed, mostram dados oficiais, cerca de dois por cento da produção diária geral de petróleo e gás da Noruega.

Já o sindicato Industri Energi disse que inicialmente tentaria evitar atingir toda a produção, mesmo que 573 de seus membros pudessem entrar em greve.

“A primeira instância de uma possível greve envolveria apenas um número limitado de membros, mas podemos escalar se necessário”, disse o negociador-chefe da Industri Energi, Lill-Heidi Bakkerud.

A Industri Energi é o maior sindicato de petróleo e gás da Noruega, negociando em nome de cerca de 4.300 membros.

O sindicato Safe, que também participará da mediação de 10 a 11 de junho, ainda não deu uma resposta.



Fonte: Terra

AllEscortAllEscort