Alternativa 104

Candiba Bahia
0:14
  • cover
    Alternativa 104

Equipe japonesa registra novo recorde na transmissão de dados

 Equipe japonesa registra novo recorde na transmissão de dados


Um novo recorde foi conquistado na transmissão de dados por meio de uma velocidade de 1,02 petabits por segundo. A façanha é de uma equipe do Instituto Nacional de Tecnologia da Informação e Comunicações (NICT) no Japão, transmitindo os dados por mais de 51,7 Km ou 32 milhas. A marca representa um milhão de gigabits em uma linha a cada segundo, o que equivale a mais de 10 milhões de feeds de vídeo de 8K simultaneamente. A marca anterior havia sido registrada pela mesma equipe.  

Fibra óptica 

Além de registrar o recorde na velocidade na transmissão de dados, os japoneses conseguiram ainda mais uma novidade no mundo da tecnologia: tudo foi feito por meio de uma rede de fibra óptica, muito semelhante das que são utilizadas na internet banda larga. Trata-se de uma grande expectativa em relação às futuras atualizações na velocidade na web. 

publicidade

O experimento usou fibra multi-core (MCF) de 0,125 mm de diâmetro, com multiplexação por divisão de comprimento de onda (WDM) em 801 canais paralelos empacotados na mesma linha.

Apagamento de dados
A obtenção de velocidades cada vez maiores na transmissão de dados é um fator de evolução no mundo tecnológico. Imagem: Gorodenkoff/Shutterstock

Outra inovação foi utilizar quatro núcleos no lugar do padrão, quadruplicando as rotas de dados. Os pesquisadores inseriram ainda várias tecnologias de otimização, influenciando no aumento do sinal e decodificação.  

Leia mais:

De olho no 5G 

Como altas velocidades são mais difíceis de serem mantidas em longas distâncias, tudo indica que o 5G será muito útil para auxiliar nessa busca por uma maior rapidez na transmissão dos dados. 

Segundo comunicado oficial da equipe dos pesquisadores japoneses, “além do 5G, espera-se um aumento explosivo do tráfego de dados de novos serviços de informação e comunicação e, portanto, é crucial demonstrar como novas fibras podem atender a essa demanda”.

Via: Sciencealert

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!





FONTE: OLHAR DIGITAL

AllEscortAllEscort