Alternativa 104

Candiba Bahia
0:14
  • cover
    Alternativa 104

Ministério Público vai criar unidade para discutir uso de moeda virtual – Notícias

 Ministério Público vai criar unidade para discutir uso de moeda virtual – Notícias





O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) vai criar um núcleo para difundir informações sobre os cryptoativos, que são representações de valores que existem apenas no meio virtual e cujas transações são feitas por pessoas físicas ou empresas sem o intermédio de uma instituição financeira.


A Unidade Especial de Cryptoativos, chamada de Crypto, será a primeira do Ministério Público Brasileiro e de outras instituições do país. A cerimônia de oficialização será realizada nesta terça-feira (7) e contará com a assinatura de uma portaria pela procuradora-geral de Justiça do DF, Fabiana Costa.


De acordo com o Ministério Público, caberá à Unidade Especial, entre outras atribuições: “elaborar treinamentos e manuais para os integrantes do Ministério Público, Poder Judiciário e Polícias; promover ações informativas que orientem a população do DF e do restante do país sobre o uso seguro dos cryptoativos; e prestar suporte a promotores de Justiça do MPDFT em demandas envolvendo cryptoativos”.





A unidade também prestará apoio a outros Ministérios Públicos e Polícias em ações relacionadas a cryptoativos, além de gerenciar e operar ferramentas de rastreamento e monitoramento de ativos nas blockchains (sistema que permite rastrear o envio e recebimento de informações virtuais) eventualmente adquiridas pelo MPDFT.


LEIA TAMBÉM: Sasha e marido perdem mais de R$ 1 milhão em golpe de criptomoedas



Golpes



Os golpes envolvendo cryptoativos têm se tornado alvo de preocupação de autoridades e agências reguladoras em todo o mundo. “De acordo com levantamento da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), divulgado no ano passado, as cryptomoedas são utilizadas em 43% dos golpes financeiros. A pesquisa da CVM apontou que as vítimas mais comuns desses golpes são homens (91%), que têm entre 30 e 35 anos de idade (36,5% do total)”, informou o MPDFT.



Fonte: R7

AllEscortAllEscort