Alternativa 104

Candiba Bahia
0:14
  • cover
    Alternativa 104

Em busca do sonho de ser lutador profissional, brasileiro Gustavo de Noronha se dedica ao Muay Thai

 Em busca do sonho de ser lutador profissional, brasileiro Gustavo de Noronha se dedica ao Muay Thai


Natural de Minas Gerais, mas atualmente morando em Massachusetts, nos Estados Unidos, Gustavo de Noronha treina Muay Thai desde 2015, porém há um ano e meio intensificou sua preparação com o objetivo de lutar profissionalmente. Treinando na academia BMAC (Brazilian Martial Arts Center) com o professor Marcelo Siqueira, o brasileiro se inspira na compatriota Tainara Lisboa, bicampeã mundial de Muay Thai e hoje no UFC.




Gustavo Noronha vem se dedicando a prática do Muay Thai (Foto: Arquivo pessoal)

Gustavo Noronha vem se dedicando a prática do Muay Thai (Foto: Arquivo pessoal)

Foto: Lance!

– Ainda falta muito para eu chegar no nível da Tainara e outros ídolos como José Neto e Thiago Teixeira, mas estou firme na caminhada. Por enquanto as competições são mais locais, mas em breve estarei disputando o Mundial, podem esperar – disse Gustavo de Noronha, que completou:

– Estou cheio de garra e determinado. Sou apenas um iniciante em busca de um sonho. A vontade de lutar despertou em mim quando ainda estava em Belo Horizonte, mas chegando nos EUA, vi como a luta é muito mais valorizada do que no Brasil e essa vontade cresceu.

Além da vida como atleta, Gustavo de Noronha também ensina inglês para brasileiros e é influenciador. Para conciliar tudo, mantém uma rotina regrada de treinos, trabalho, preparação física e alimentação.

– Procuro organizar bem os meus horários para não deixar nada pra trás. Vou na academia treinar pela manhã e, quando dá, à noite também. Durante o dia gerencia meu curso de inglês – contou ele, que por fim analisou o cenário norte-americano de Muay Thai:

– Os treinos aqui são pesados, mas quando você se torna profissional, consegue patrocínios com mais facilidade, sem contar que as grandes lutas estão nos EUA. Infelizmente ainda falta muito para o Brasil nesse quesito de valorização e reconhecimento. Tudo aqui é feito com foco e determinação, e quando senti isso, pensei: é o meu momento doe voar – encerrou.



Fonte: Terra