Parceiros da Rádio

Imagem do WhatsApp de 2023-04-03 à(s) 19.2
Imagem do WhatsApp de 2023-04-03 à(s) 19.29.25
Imagem do WhatsApp de 2023-04-03 à(s) 19.29.26
Imagem do WhatsApp de 2023-04-03 à(s) 19.29.2588
Imagem do WhatsApp de 2023-04-03 à(s) 19.29.24
Imagem do WhatsApp de 2023-04-03 à(s) 19.29.2
Imagem do WhatsApp de 2023-04-03 à(s) 19.29.23
Imagem do WhatsApp de 2023-04-03 à(s) 19.29.267
IMG-20230518-WA0045
IMG-20230518-WA0046
IMG-20230518-WA0047
IMG-20230518-WA0048
IMG-20230518-WA0049
IMG-20230518-WA0050
IMG-20230518-WA0051
Imagem do WhatsApp de 2023-04-03 à(s) 19.2 Imagem do WhatsApp de 2023-04-03 à(s) 19.29.25 Imagem do WhatsApp de 2023-04-03 à(s) 19.29.26 Imagem do WhatsApp de 2023-04-03 à(s) 19.29.2588 Imagem do WhatsApp de 2023-04-03 à(s) 19.29.24 Imagem do WhatsApp de 2023-04-03 à(s) 19.29.2 Imagem do WhatsApp de 2023-04-03 à(s) 19.29.23 Imagem do WhatsApp de 2023-04-03 à(s) 19.29.267 IMG-20230518-WA0045 IMG-20230518-WA0046 IMG-20230518-WA0047 IMG-20230518-WA0048 IMG-20230518-WA0049 IMG-20230518-WA0050 IMG-20230518-WA0051
Mais que preço, mundo precisa debater valor da natureza, diz ministra
Gostou? Compartilhe
Mais que preço, mundo precisa debater valor da natureza, diz ministra


Mais que preço, mundo precisa debater valor da natureza, diz ministra


A ministra do Meio Ambiente e Mudança do Clima, Marina Silva, afirmou, nesta quarta-feira (17), que não há como “precificar” os serviços prestados pela natureza, tamanho o valor que ela tem para o planeta e para os seres humanos.

A declaração referia-se à tentativa do 54º Fórum Econômico Mundial de mensurar, em termos financeiros, “serviços ecossistêmicos incalculáveis”, ao convidar a ministra para participar da mesa de debates Colocando um Preço na Natureza. O evento está sendo realizado em Davos, na Suíça.

“Tem um exemplo que eu gosto de citar: a Amazônia produz 20 bilhões de toneladas de água por dia. A floresta usa 50% dessa água e 50% são dispensados na atmosfera, que é responsável pelo nosso regime de chuvas, ao qual está relacionado 75% do PIB [Produto Interno Bruto] da América do Sul. Se fôssemos bombear essa água, precisaríamos de 50 mil usinas de Itaipu. Alguém consegue imaginar um investimento como esse, bombeando água ininterruptamente para poder alimentar o nosso regime hidrológico?”, questionou a ministra.

Serviço incalculável

Notícias relacionadas:

“A natureza faz isso utilizando apenas a terra, seus nutrientes, a floresta, o Sol e o vento. É, portanto, um serviço ecossistêmico incalculável”, disse Marina Silva.

A ministra abriu sua participação dizendo ter recebido com estranheza o convite para participar de uma mesa de debates que tentaria “botar um preço na natureza”. Ao refletir sobre o tema, ela concluiu que seria melhor adotar, em vez de “preço”, o termo “valor” para o debate.

“A palavra valor, para mim, remete a algo que vai além daquilo que podemos precificar porque a natureza tem valores que a forma e o estágio em que nos encontramos ainda não conseguem alcançar. A gente só conseguiria precificar algo que pudesse produzir”, acrescentou.

Segundo a ministra, até seria possível chegar a um preço, mas esse cálculo só poderia ser feito após se conseguir “ver o valor” da natureza. “Um valor que [a partir desse olhar] tem preço também. Sobretudo o preço de quem pesquisa; o preço de quem usufrui desses serviços ecossistêmicos e dos conhecimentos milenares daqueles que têm conhecimentos associados a esses recursos. Que esse debate seja constante nesse olhar para a natureza.”

Marina Silva disse ainda que o Brasil trabalhará, em uma força-tarefa do G-20 (grupo formado pelas 20 maiores economias do planeta), a ideia de pagamentos para os serviços ecossistêmicos, de forma a preservá-los para o bem do planeta.

Gostou? Compartilhe